moda

Alerta: a fluorescência voltou!

07.fev.2019

Entre altos e baixos, a moda que bombou nos anos 80 tem seus dias de glória no Verão 2019. O neon voltou com toda a força e veio para arrasar na composição dos looks, com acessórios, biquinis, sapatos, esmaltes e até nos cabelos. Até quem acha que o fluorescente fica bem só no marca-texto, por exemplo, deve aderir. Nem que seja só no Carnaval. 

A tendência neon traz para o seu armário cores ultra vibrantes, que parecem luzes coloridas bem acesas; têm um ar jovial, alegre e podem ajudar a levantar seu humor nos dias cinzas. Se tem dificuldade para combinar, aposte em estampas com os tons da temporada e arrase. 

Mas, para acender mesmo a temporada, a gente escolhe as peças únicas, que não dão trabalho algum para combinar, como os macaquinhos. Além de estarem super na moda, eles são confortáveis, fresquinhos e vestem super bem em todos os tipos de mulheres. 

 

A moda não deve ser uma pressão para as mulheres, diz consultora de imagem

30.mar.2018

Para Shaila Manzoni, consultora de imagem, a moda ainda tem influenciado de uma forma negativa, fazendo as mulheres se sentirem pressionadas. Ela lembra que é preciso ser diferente.

“A gente precisa olhar pra moda como uma influência positiva, como aquela que é capaz de acentuar nossa individualidade e não de nos uniformizar. A moda precisa ajudar a expressar quem a gente é e como a gente vê a vida”, afirma.

E para evitar as pressões da moda, segundo Shaila, nada melhor que autoconhecimento. “Quando a gente se conhece e sabe qual mensagem que a gente quer passar, a gente tem uma clareza do que quer usar”.

Para a consultora, se está “na moda” usar cropped, mas se esse tipo de roupa não tem a ver com quem você é, não tem a ver com aquilo que quer comunicar, não se deve usar a peça. “É com o autoconhecimento que você elimina as pressões da moda.

Ela lembra ainda que se vestir para o outro não é bom porque, independente da forma que você vestir, vai ter sempre alguém que gosta e alguém que não gosta. “Precisamos nos vestir para nós mesmas. Nossa imagem vai passar uma mensagem para outra pessoa e é bom que essa mensagem seja verdadeira”, destaca Shaila.

Para fugir dessa vontade de só agradar o outro, ela também fala sobre a questão da auto aceitação. “Se eu me amo e me aceito, se minha autoestima tá elevada, tudo isso vai cooperar para que eu me sinta bem e não vou precisar da aprovação dos outros”.

De acordo com a consultora, seu trabalho é gerar transformação na vida das mulheres. “Faço isso por meio de um método que criei e foca no autoconhecimento. Preciso focar na parte interna e depois trabalhar a parte externa. Eu ajudo mulheres a descobrirem a verdadeira identidade delas e depois ajudo a se vestirem de acordo com tudo que foi descoberto”.

A profissional disse ainda que trabalha muito com a versatilidade das roupas e acha isso importante também pela questão do consumo consciente. “Quando a gente exercita a criatividade e utiliza as peças que temos, a gente evita o consumo por impulso”.

Para as leitoras do blog, Shaila deixa uma mensagem: “As mulheres precisam alegria na hora de se vestir. Eliminar o sentimento de inadequação. De vestir várias roupas e não gostar de nenhuma.”

Ela ainda recomendação que todas assistam o documentário “Embrace”, que fala muito da relação da mulher com o corpo.


Serviço:

Shaila Manzoni – Consultora de imagem
Instagram: @shailamanzoni
Email: shailamanzoni@gmail.com

 

Xadrez Príncipe de Gales: o clássico que virou moderno

28.mar.2018

Tons de cinza em riscos irregulares formam o clássico xadrez inglês – ou escocês

Quase todo xadrez é clássico, né?! Assim como o poá, as listras, a combinação de preto e branco… Mas esse xadrez, minha gente, habita os armários de mães e avós há algum tempinho. Mas é agora, em pleno 2018, que as passarelas e as vitrines se renderam de vez a todo o charme do Príncipe de Gales.

Riscas irregulares – e praticamente monocromáticas – formam o xadrez, que foi criado pela condessa Seafield na Escócia, no Século XIX, para vestir os guarda-caças. Mas o print ficou mesmo conhecido por meio do Príncipe de Gales, Edward VII, na Inglaterra.

Se, antes, os blazers, as calças, os coletes e as peças mais pesadas – e masculinas – é que ostentavam a estampa, agora, ele ganhou o guarda-roupas feminino, em peças delicadas e tubinhos empoderadores. E deixou os tecidos invernais para se adaptar ao inverno menos rigoroso do Brasil.

Na Vestido de Chita, o xadrez dá forma a um dos modelitos mais procurados: o Vestido Charme. Com manguinhas, corte reto e comprimento acima do joelho, o clássico tubinho é um look moderno para mulheres clássicas – e elegantes. Aqui, a modelagem mais ajustada ao corpo é combinada à elegância do print.

A ousadia dos sapatos vermelhos contrasta com os tons de cinza do print

Na Inglaterra, onde se popularizou, o xadrez é conhecido como Glen Check; na França e em Portugal, como Prince de Galle; e, na Áustria, é chamado de Esterhazy.

O clássico Príncipe de Gales – título dado ao filho mais velho do Rei ou Rainha da Inglaterra – é composto de cinza – ou bege – o que dá liberdade para criar infinitos looks divertidos. Para quebrar a sobriedade do clássico, por exemplo, é possível usar um acessório colorido, como um scarpin vermelho verniz ou mesmo uma bolsa mais tcham.

Retrô e clássica, a padronagem ainda deve persistir por muitas temporadas nos armários e closets femininos

 

Neste outono-inverno, a palavra chave é CONFORTO

22.mar.2018

A moda está sempre se renovando, mas, muitas vezes, nos devolve os clássicos da passarela. Os tecidos de alfaiataria e crepe em malha voltaram com tudo, trazendo o tradicional com mais serenidade, permitindo a criação de peças com cortes que valorizam o corpo da mulher.

Estampas como pied de poule e príncipe de gales são o hit desta estação e possuem um toque feminino e sofisticado.

Os cortes modelados, com manguinhas, gola em V, saia no estilo evasê e o famoso tubinho, dão um ar de romantismo e feminilidade, além do conforto, palavra chave do momento. São looks ótimos para o trabalho e ocasiões mais formais.

Outro modelo para a estação é o macacão. Peças curinga e que nunca saem de moda. Você precisa apenas saber escolher o modelo. Nosso novo modelo de decote em V alinhado com uma choker é discreto e sensual na media. As cores lisas e a estampa são a cara do outono.

Use e abuse do bom e velho vermelho sem medo!  Seja em detalhes combinando com outras cores ou para quem gosta de se arriscar, um look todo em vermelho. Cores quentes são formidáveis para dias frios e chuvosos.

Curiosidades: A estampa Príncipe de Gales foi criada pela Condessa Seafild, na escócia. Ela desejava uma padronagem para vestir seus guarda-caças. Ficou popular quando o Príncipe de Gales começou a usá-la muito e aos poucos se tornou um sucesso. Muito usada no guarda-roupa masculino, hoje, ela também brilha na moda feminina.

A elegância do veludo está com tudo!

13.abr.2017

Ele não passa despercebido e ainda dá um ar elegante ao seu look. Estamos falando do veludo, este tecido que voltou a figurar em muitas coleções de moda e foi eleito o material do inverno 2017 no mundo fashion. A tendência é forte, tanto que ele foi destaque na última temporada da São Paulo Fashion Week, além de estar presente nas passarelas de marcas internacionais.

Não se pode negar a versatilidade desse tecido. Nas coleções mais recentes, ele aparece em vestidos, macacões, jaquetas, saias, shorts, calças e blusas. É o tipo de peça a ser produzida que vai determinar qual a densidade, se é um veludo mais encorpado ou mais leve. Em vestidos acinturados, por exemplo, o ideal é uma versão mais densa do tecido.

Um bom vestidinho de veludo mostra que você é elegante, que sabe usar um item clássico de estilo e traz maturidade ao seu look. O toque macio do veludo e o brilho discreto fazem com que você possa usar peças feitas com ele tanto no trabalho quanto em eventos noturnos. O que vale é o bom senso: evitar escolher um veludo muito brilhante em ambientes formais é uma dica importante.

Já que o assunto do momento é ele, vamos saber sobre a história do veludo? O tecido foi criado no século XIII e era utilizado apenas pelos nobres. Por isso ele é associado à sofisticação. Tudo mudou na década de 1970, quando a indústria da moda retomou seu uso e passou a criar peças atuais feitas em veludo. De lá para cá, ele sempre voltou a estar presente nas passarelas e nas ruas.

 

 

Plus Size: como entrar na moda vestindo acima de G

09.out.2016

Se o seu manequim não está entre os tradicionais P, M e G, mas você vive se perguntando se “tem o direito” de se vestir com os looks que vê nas passarelas e revistas de moda a resposta é: sim, claro, com certeza. “Tudo depende do estilo de cada mulher e o que ela deseja expressar com o look”, revela a consultora de imagem e personal stylist, Juliana Bacellar, ao destacar que as modelagens de algumas roupas podem criar ilusões de ótica e alongar a silhueta, valorizando mais o biotipo, mas que não é uma regra na hora de montar o look. “Quando este for o objetivo da mulher que veste plus size, ela deve sim buscar modelos mais apropriados. Mas se ela se sentir bem com qualquer roupa, a decisão é dela. Basta se sentir linda e confiante”, sentencia.

plus-size

Se a ideia é fazer algumas adequações, Juliana explica que primeiro é preciso identificar a parte do corpo que incomoda e a mulher quer esconder e que qualidades ela quer valorizar. A partir daí, é possível escolher a peça que mais lhe cai bem. “Mas isso só se ela quiser, pois não há problema em ser plus. Pelo contrário. Toda e qualquer mulher tem poder e deve se sentir poderosa”, avalia, ao dizer que existem infinitas opções de looks para todos os biotipos.

1-45-plus-size

Com mais de 18 anos de experiência no mundo da moda, Juliana explica que o trabalho de uma consultora é justamente o de esclarecer as dúvidas da cliente, alinhando estilo, biotipo e cores, mostrando que existe muito mais que um corpo perfeito ou magro.

juliana-bacellar

Mas se a ideia é esconder ou disfarçar alguns quilinhos, ela aponta algumas estratégias que podem fazer diferença:

– Os acessórios chamam o foco para eles. Usar a sobreposição deles é interessante

– Peças mais estruturadas. Não usar peças largas, mas sim valorizar a cintura.

– Decotes e looks monocromáticos alongam a silhueta.

Já conhece a coleção Plus Size da Vestido de Chita? Veja aqui.

E para mais informações sobre o trabalho da Juliana, acesse: www.julianabacellar.com.br

 

Promoção de um ano da Vestido de Chita é notícia

23.jun.2016

A promoção da Vestido de Chita para celebrar um ano da loja virtual foi destaque em duas publicações de Goiás, o jornal O Popular e o Jornal Daqui, sediados na capital goiana.

De 13 a 26 de junho de 2016, qualquer peça, até das últimas coleções, custa apenas R$ 99. Outras peças custam apenas R$ 79. As duas publicações destacam que a Vestido de Chita trabalha especialmente com macaquinhos e vestido e têm confecção própria para melhor atender suas clientes, entregando para qualquer lugar do Brasil.

E nós amamos saber que temos atingido a satisfação de nossas clientes.

namidia